Introdução
Backup é uma palavra de origem inglesa, sem tradução específica para o nosso português. Embora sem tradução para nossa língua-mãe, essa expressão tornou-se popular em nosso país como cópia de segurança. A ausência da prática de backup é uma das maiores dores-de-cabeça conhecidas pelos profissionais da Tecnologia da Informação, pois a finalidade de um backup é manter cópia dos arquivos importantes da instituição para ser utilizada em caso de danos aos originais.
Neste capítulos estudaremos o conceito de backup, seus propósitos, dispositivos apropriados para realizá-lo e os tipos de backup existentes.
Então, sem demoras, vamos lá!
Bom estudos,
Carlos Viana.


Conceitos Iniciais

Backup é salvaguardar arquivos em dispositivos apropriados para uma possível restauração.
Da definição podemos coletar o propósito do backup: guardar arquivos como cópia de segurança para no caso de acontecer algum desastre, como incêndio na sala dos dados ou coisa parecida, tenha-se uma cópia de segurança destes dados.
Ainda da definição, percebemos que a cópia de segurança deve ser feita em dispositivo apropriado. Consideramos dispositivo apropriado aquele com preço acessível, grande capacidade de armazenamento e boa durabilidade.
Podemos citar como dispositivos para backup, o Pendrive, o cartão de memória, o HD externo, a Fita Dat, o CD, o DVD, entre outros.

Propriedades dos Arquivos
Todo arquivo criado pelo usuário tem propriedades específicas. Estas propriedades (ou atributos) caracterizam os arquivos. Algumas propriedades podem ser manipuladas pelos usuários e outras são reservadas ao sistema operacional. Vamos conhecer essas propriedades a seguir.

Existe algumas propriedades do arquivo, como o nome do arquivo, o local em que se encontra armazenado, o tamanho que ele ocupa em disco e a data em que foi criado. Além dessas, existem outras propriedades, que podem inclusive ser manipuladas pelo usuário – como é caso dos atributos Somente leitura e Oculto (observe-os na parte inferior da imagem acima).

Se clicarmos no botão Avançados… aparecerá uma janela idêntica à do lado direito da figura. Essa janela tem a propriedade que nos interessa para estudo de Backup: “O arquivo está pronto para ser arquivado”.
Essa propriedade pode ser manipulada tanto pelo sistema como pelo usuário. Vamos às explicações:

Pelo sistema: Toda vez que o usuário cria ou modifica um arquivo, o sistema marca o checkbox desta propriedade. É automático, sem interferências do usuário.
Pelo usuário: Essa propriedade pode ser marcada ou desmarcada por livre conveniência do usuário, bastando para tanto um clique do mouse.
Outro ponto importante é que sempre que o checkbox estiver marcado, o Windows entende que tal arquivo deve ir para o dispositivo de backup. É como se o arquivo dissesse: Ei, Windows! Quero ir para backup!

Tipos de Backup
Podemos fazer backup de maneira amadora ou profissional.
De forma amadora, arrastamos os arquivos que queremos para dentro da unidade externa e gravamos estes arquivos de forma manual. Quanto à forma profissional, existem softwares específicos no mercado, como o Microsoft Backup e o Norton Ghost. Estes oferecem alguns tipos de backup: completo, incremental e diferencial.
O que seu concurso deseja saber é se você conhece as características desses diferentes tipos de backup. Vamos às explicações.

Backup Completo
Neste tipo, o programa armazena no dispositivo de backup todos os arquivos que tiverem na pasta selecionada, sendo indiferente se encontram-se com a checkbox marcada ou não.
Exemplo: caso selecione a pasta Meus documentos para que seja feito o backup e esta contenha 30 arquivos, dos quais 18 (dezoito) estejam marcados para backup – checkbox marcado – e 12 (doze) não estejam marcados – checkbox desmarcado –, o programa copiará todos os 30 (trinta) arquivos para o dispositivo de backup. Ao final do procedimento, o programa ainda terá desmarcado o atributo arquivamento, ou seja, terá desmarcado o checkbox.

Backup Incremental
Nesta modalidade, o programa armazena no dispositivo de backup apenas os arquivos que estão marcados para backup – checkbox marcado – e, ao final, desmarca o atributo arquivamento – desmarca o checkbox.
Exemplo: caso selecione a pasta Meus documentos para que seja feito o backup e esta contenha 30 (trinta) arquivos, dos quais 18 (dezoito) estejam marcados para backup – checkbox marcado – e 12 (doze) não estejam marcados para backup – checkbox desmarcado –, somente os 18 (dezoito) arquivos marcados irão para o dispositivo externo.

Backup Diferencial
Neste tipo de backup, o programa armazena no dispositivo externo apenas os arquivos que estão marcados para backup – checkbox marcado – e, ao final, não desmarca o atributo arquivamento – não altera o status desmarcado do chekbox. Perceba que a diferença entre as modalidades incremental e diferencial se dá exatamente no final: aquele desmarca o atributo e este não altera nada.

COMENTE PELO SITE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *